Liturgia Diária

Sexta-feira, 18 de Novembro de 2016.

33ª SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do Dia)

 

Primeira Leitura: Apocalipse 10,8-11

Leitura do Livro do Apocalipse de São João: 8Aquela mesma voz do céu que eu, João, já tinha ouvido tornou a falar comigo: “Vai. Pega o livrinho aberto da mão do anjo que está de pé sobre o mar e a terra”. 9Eu fui até o anjo e pedi que me entregasse o livrinho. Ele me falou: “Pega e come. Será amargo no estômago, mas na tua boca será doce como mel”. 10Peguei da mão do anjo o livrinho e comi-o. Na boca era doce como mel, mas, quando o engoli, meu estômago tornou-se amargo. 11Então ele me disse: “Deves profetizar ainda contra outros povos e nações, línguas e reis”.    

— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial ( 118 )

REFRÃO: Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!

— Seguindo vossa lei, me rejubilo / muito mais do que em todas as riquezas. – R.

— Minha alegria é a vossa aliança, / meus conselheiros são os vossos mandamentos. – R.

— A lei de vossa boca, para mim, / vale mais do que milhões em ouro e prata. – R.

— Como é doce ao paladar vossa palavra, / muito mais doce do que o mel na minha boca! – R.

— Vossa palavra é minha herança para sempre, / porque ela é que me alegra o coração! – R.

— Abro a boca e aspiro largamente, / pois estou ávido de vossos mandamentos. – R.

 

Evangelho: Lucas 19-45-48

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 45Jesus entrou no templo e começou a expulsar os vendedores. 46E disse: “Está escrito: ‘Minha casa será casa de oração’. No entanto, vós fizestes dela um antro de ladrões”. 47Jesus ensinava todos os dias no templo. Os sumos sacerdotes, os mestres da lei e os notáveis do povo procuravam modo de matá-lo. 48Mas não sabiam o que fazer, porque o povo todo ficava fascinado quando ouvia Jesus falar.

— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.