Dom Fernando

 

Eu sou o caminho, a verdade e a vida

Texto Bíblico: “...” João 14,7-14

   

     Jesus é o caminho para o Pai. Caminho prefigurado pelo povo de Israel, conduzido por Moisés, através do deserto, à Terra Prometida. No tempo presente, tendo “nossos olhos agora iluminados pelo colírio da fé” (S. Agostinho), percorremos a senda para o céu. Somos conduzidos não por Moisés, mas pelo divino Mediador, pois diz Jesus: “Ninguém vem ao Pai a não ser por mim”, por minha mediação. Em Jesus, Deus veio ao mundo para buscar “a ovelha desgarrada” e, “ao elevar-se aos céus, apresenta ao Pai a humanidade reencontrada” (S. Irineu). Eis o objetivo da vinda de Jesus: reconciliar-nos com Deus, para que nele encontremos a imortalidade e possamos atingir nossa plena realização. Graças ao sangue precioso de Cristo, tornamo-nos criaturas renovadas, livres de toda iniquidade, pois, consumada em Jesus, a obra redentora efetiva-se em nossa vida.

     Jesus é o Mestre que, com sua palavra e exemplo, mostrou à humanidade o caminho que leva ao Pai. É necessário percorrê-lo para se chegar à meta. Assim, em nossa vida terrena, vendo Jesus com os olhos da fé, já contemplamos o Pai em seu amor indizível. No Senhor repousa a nossa esperança de salvação eterna, pois sendo Deus tornou-se um de nós para que o homem não permanecesse distante de Deus. Em Jesus, Deus tornou-se íntimo a nós. O abismo da distância entre nós e Deus é transposto pela Cruz. Pois “quando caminhamos, diz o Papa Francisco, sem a Cruz, edificamos sem a Cruz ou confessamos um Cristo sem Cruz, não somos discípulos do Senhor: somos mundanos, somos bispos, padres, cardeais, papas, mas não discípulos do Senhor”. Ao seu tempo, dizia S. Agostinho: “Por Jesus Cristo vós chegais a Jesus Cristo. Por Jesus Cristo homem, vós chegais a Jesus Cristo Deus: pelo Verbo feito carne, vós chegais ao Verbo que no começo era Deus”. Jesus é o caminho não para a verdade, mas por ser verdade e vida, ele é caminho para o Pai. Acolhamos Jesus e vivamos a sua mensagem. Então, conduzidos por ele chegaremos ao Pai e, maravilhados, reconheceremos que Jesus é a face humana de Deus.

     A verdade, revelada por Jesus, é vida na comunhão com Deus e é comunhão de vida com os irmãos. Pois a prática das virtudes na ordem da palavra, do querer e do ser engendra um dinamismo interior, que nos possibilita viver em comunhão com o Pai e estar na acolhida ilimitada do próximo. Desse modo, participamos sempre mais da vida divina e, com S. Irineu, dizemos: “A glória de Deus é a vida do homem, e a vida do homem é a visão de Deus”.

“Senhor, protegei-me de todo mal e sede meu caminho desde a infância até a velhice. Em vós coloco minha confiança e jamais serei confundido”. Amém.

Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM