Dom Fernando

 

Semente boa e má

Texto Bíblico: “...” Mateus 13,24-30

  

     Às voltas com a discussão sobre o fim dos tempos, os fariseus indagam Jesus sobre o Reino de Deus. Ele responde: “O Reino de Deus não vem de maneira visível, não se pode dizer ‘Ei-lo aqui’, ou Ei-lo ali’ ... porque o Reino de Deus está próximo, está dentro de vós”. Para explicitar, Jesus utiliza imagens extraídas do mundo rural e conta-lhes uma parábola: “O Reino dos Céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo” e quer ele durma, quer esteja acordado, de noite e de dia, a semente germina e cresce. Mas “enquanto dormiam, veio o inimigo e semeou o joio no meio do trigo e foi-se embora”. É a parábola do joio. Jesus alerta que se tentarem separar, imediatamente, o joio do trigo toda a colheita pode ser prejudicada e mesmo destruída. Só mais tarde, após o crescimento de ambos. 

     De uma maneira singela, Jesus fala da realização dos planos de Deus, que semeou, em nossos corações, a boa semente, podendo, no entanto, ser ela prejudicada pela força negativa do pecado e do mal. S. Agostinho observa que “no campo do Senhor, isto é na Igreja, quem era trigo por vezes se transforma em erva daninha e os que eram erva daninha se transformam em trigo. Daí ter sido reservada a separação aos anjos. Mais exatamente. A separação cabe ao pai de família, que conhece todos, e sabe aguardar o tempo da separação”.

     A semente do mal, presente no coração do homem, é considerada como uma decisão pecaminosa de sua vontade livre. Nesse sentido, Diadoco fala que “a natureza do bem é mais forte que o hábito do mal, pois o bem é, enquanto o mal não é ou, melhor dito, ele só existe no momento em que se efetiva”. S. Gregório de Nissa dirá que “o pecado é uma enfermidade da vontade, que se equivoca tomando por bem a ilusão (o fantasma) do bem”.

     Na parábola do joio, o mundo e a vida interior de cada cristão são como um campo de batalha, que exige uma luta contínua. Mesmo que nele o Inimigo semeie a erva daninha do pecado e do mal, a vitória será de Cristo, luz de todo homem, mesmo daqueles que não o conhecem, contanto que correspondam ao chamado de Deus e ao seu dom, pela fé e por uma consciência reta e justa. O Reino de Deus realiza-se lá onde a Palavra do Senhor é acolhida por aqueles que têm sua vida norteada pela Lei nova do amor e da misericórdia. Então, a boa semente se desenvolve e o coração humano se abre ao panorama da divina Sabedoria.    

Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM